Mostra traz espetáculos indicados ao Prêmio Braskem de Teatro » Teatro » Cultura » Infocultural

Mostra traz espetáculos indicados ao Prêmio Braskem de Teatro

Teatro - 13/04/2022
Mostra traz espetáculos indicados ao Prêmio Braskem de Teatro A peça A Filha Monga concorre na categoria espetáculo adulto (Foto: Gabrielle Guido)
 

A 7ª Mostra Prêmio Braskem de Teatro reapresenta, a partir do dia 14 de abril, os espetáculos que concorrem a mais tradicional premiação das artes cênicas da Bahia. As peças "ficarão em cartaz" no canal da premiação no YouTube (www.youtube.com/PremioBraskem). As apresentações serão gratuitas e acontecem até 15 de maio.

 

Com a mostra, o público tem a oportunidade de rever os trabalhos indicados ao prêmio, na categoria performance, espetáculo adulto e infantojuvenil. Ao todo, serão reapresentados 15 espetáculos: De como me tornei invisível para caber no meu espírito, Gota D'Água, Barcarola Encantada, Arquivo Vivo, NAU, História do Mundão, Omorfiá, Para-iso, Metamorfose, Corpo Presente, A Filha da Monga, Zumbindo, Alcantil, Ensaio para um Redenção e Um Corpo de Palavras.

 

A cada semana, três peças serão exibidas durante quatro dias (quinta a domingo), permitindo que o público defina o melhor momento para assistir, o que deixa a arte mais acessível.

 

A mostra é promovida pela Caderno 2 Produções Artísticas e patrocinada pela Braskem e Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

 

Confira programação da 7ª Mostra Prêmio Braskem de Teatro:

 

De quinta (14/04) a domingo (17/04)

 

De como me tornei invisível para caber no meu espírito

(Performance)

Numa dimensão pós-humana, as imagens travam uma guerra contra elas mesmas. Uma criatura precisa tornar-se invisível para sobreviver ou um vídeo-tese a partir de pesquisas e métodos do invisível no campo da arte, especificamente a performance, relacionadas diretamente ao Gênero Trans Não-Binário. É possível hoje a emancipação, me tornando invisível? É possível existir invisível? Uma experimentação íntima sobre processos desidentitários, sumiço e testemunha.

 

Gota D’água

(Espetáculo Adulto)

 

A peça Gota D’Água, texto teatral escrito por Chico Buarque e Paulo Pontes, ganha uma nova montagem contada a partir do ponto de vista dos dois personagens principais, Joana e Jasão. Ambientados em um cenário degradado que presentifica, através das cores, formas e texturas, traçando um paralelo simbolista com o Subúrbio Ferroviário de Salvador e o Porto das Sardinhas, traz à tona as questões sociais, culturais e as formas de resistência da população periférica.

 

Barcarola Encantada

(Espetáculo Infantojuvenil)

 

O “Grupo de Teatro de Bonecos Vira Toco”, da cidade de Rio de Contas na Chapada Diamantina Bahia, conta as histórias, mitos e lendas das águas do Rio São Francisco e da Chapada Diamantina nesse novo espetáculo. As histórias são narradas pela Vovó Sá Binidita, que viaja para a sua Romaria em Bom Jesus da Lapa e lá conhece Tõe, um menino do sertão que foge dos maus tratos e da seca. Com o sonho de ser tocador, Tõe pega seu violão e inicia sua jornada em uma barcarola encantada pelo Rio São Francisco, encontrando os seres encantados como o Caboclo D'água, Mãe D'Água, sereias e as carrancas.

 

De quinta (21/04) a domingo (24/04)

 

Arquivo Vivo

(Performance)

 

Como mergulhar na memória do teatro da Bahia atravessada pelo imperativo do distanciamento social? “Arquivo Vivo” é o trabalho que resulta deste desafio. Reunindo no elenco Claudia Di Moura, Diogo Lopes Filho, Fábio Osório Monteiro, Larissa Lacerda, Mônica Santana e Neto Machado, com direção de Jorge Alencar e codireção de Neto Machado, a peça constrói um arcabouço poético para manter a criação teatral em movimento, realizando práticas de ativação da memória em um ritual coletivo. O título do trabalho, “Arquivo Vivo”, dá materialidade ao seu formato e ao jeito como a plateia online poderá frui-lo: adentrar a obra significará acessar um link exclusivo em um dos funcionais serviços digitais para armazenamento e partilha de arquivos – a chamada “memória em nuvem”.

 

 

NAU

(Espetáculo Adulto)

 

O espetáculo narra a história da Legião HZ, um grupo de energia de pessoas que viveram no Brasil pós-colonial, que pedem ao Sistema Solar para não voltar mais ao Brasil como seres humanos, pois todos os retornos anteriores foram desastrosos para eles. Como o pedido não foi atendido, em fúria, a legião decide descer ao Brasil, ainda como frequências, para observar como está o país e, a partir daí, desenvolver uma estratégia para nunca mais voltar, mesmo que isso implique em acabar com a terra.

 

Histórias do Mundão

(Espetáculo Infantojuvenil)

 

Histórias do Mundão é um espetáculo de contação de histórias que narra as memórias das irmãs Tina e Kekeu. Cansadas de só olhar o mundão através das telinhas, as meninas resolvem que é a hora de conhecer o diferente. E é, a partir daí, que elas embarcam numa aventura pela magia da leitura.

 

De quinta (28/04) a domingo (01/05)

 

Omorfiá

(Performance)

 

Até onde estamos dispostos a ir para seguir um ideal de beleza que não é fiel a sociedade em que estamos inseridos? “O??????- Omorfiá” é um desabafo performático acerca da exagerada busca pelo padrão de beleza grego e o impacto nos corpos marginalizados e fora dos padrões.

 

Para-iso

(Espetáculo Adulto)

 

PARA-ISO propõe uma reflexão sobre o modo como o HIV/Aids e o COVID-19 têm atingido os corpos gays, numa tentativa de tecer uma correlação entre as epidemias que distam em 40 anos. Episódico, o espetáculo teatral remonta a trajetória de um homem gay, duplamente positivo, que vem a óbito, a partir da visão de cinco personagens que têm suas vidas atravessadas por Ele e na noite de seu velório, ao se encontrarem na Casa PARA-ISO, residência d'Ele, transbordam as memórias que o afirmam.

 

Metamorfose

(Espetáculo Infantojuvenil)

 

O espetáculo apresenta a rotina diária de um senhor sertanejo, vivendo as dificuldades da seca que assola o sertão. Em seu universo imaginário particular, ele vive em total isolamento e relaciona-se com elementos da natureza ao seu redor. Durante esse processo de solidão, descobre a dor da perda e a possibilidade de imergir em um processo de transformação do ser por meio desta interação, que resulta na descoberta de um mundo além das fronteiras da imaginação.

 

De quinta (05/05) a domingo (08/05)

 

Corpo Presente

(Performance)

 

A atriz Carla Lucena mergulha em seu íntimo na cena performática “Corpo Presente” para buscar suas memórias e reconhecimento de alteridade ao lembrar do rito de passagem de sua mãe. A atriz realiza todas as ações da cena, luz, sonorização, interpretação e com apenas uma câmera parada e sentada em sua escrivaninha redige cartas endereçadas a sua mãe, mas sem retorno. As cartas são escritas quando ela recebe a notícia de seu falecimento e precisa lidar de modo direto e prático com essa realidade.

 

A Filha da Monga

(Espetáculo Adulto)

 

O espetáculo A filha da Monga narra a história de uma jovem que faz o papel da mulher que vira monstro e se torna a principal atração do parque de diversões de uma cidade do interior. Entre a realidade e a imaginação, a trama percorre a jornada de afetos da história dessa mulher.

 

Zumbindo

(Espetáculo Infantojuvenil)

 

O musical traz o encantamento e a contemplação da cultura Iorubá e aspectos da tradição Bantu - nação predominante no quilombo alagoano – a partir da trajetória de Flor, uma menina negra, tal qual Dandara, que conhece Palmares através das histórias contadas por sua mãe. Através da ludicidade e do saber compartilhado, a protagonista da história transforma o guerreiro Zumbi no seu amigo imaginário.

 

De quinta (12/05) a domingo (15/05)

 

Alcantil

(Performance)

 

O espetáculo narra a vida solitária de um humano, preso numa redoma de elétrons da rede cibernética, em que tem como única companhia uma TV de sua casa e um ventilador, o qual começa a chamar de Doutor e o humaniza, numa espécie de "psicanalista inanimado", narrando suas disforias. O espetáculo performativo, afoito e fragmentado, traz questões como o corpo-ciborgue, a rede social virtual, a realidade, a ficção, o simulacro e os modelos líquidos das relações contemporâneas, numa variação de linguagens e estéticas

 

Ensaio para uma Redenção

(Espetáculo Adulto)

 

[Ensaio] para uma Redenção traz a jornada de Mané, que em meio às suas peripécias, se perde da sua cidade natal. Na busca pela sua querida Redenção, se defronta com diversos personagens que promovem diálogos sobre a vida e morte, pertencimento e resistência, igualdade, amor e guerra e a complexa arte de viver em sociedade.

 

Um Corpo de Palavras

(Espetáculo Infantojuvenil)

 

O espetáculo de teatro de sombras “Um Corpo de Palavras” conta a história de uma menina chamada Paula, cujo corpo se cobria de palavras sempre que ouvia dos adultos rótulos e julgamentos que diziam quem ela era ou deveria ser. O espetáculo pretende levar a reflexão sobre o poder das palavras-rótulos que são usadas desde a mais tenra infância, para julgar as crianças como “birrentas, chatas, teimosas, boas ou más”, de forma a conduzir o olhar delas sobre ela as mesmas durante toda a vida. O espetáculo pretende ainda provocar pais, jovens e crianças para juntos olharem para a própria comunicação e para os conflitos familiares que ficaram tão explícitos durante o isolamento social da pandemia.



Paula Pitta ATcom -
© Todos os direitos reservados. 2014.
Email: infocultural@infocultural.com.br
Painel Administrativo